Canais:

Livro 'Crónicas de Uma Amizade Fixe' apresentado na U.Porto

  • 844
  • 0

Partilhar: Livro 'Crónicas de Uma Amizade Fixe' apresentado na U.Porto

Small amizade fixe de vitor ramalho neit 5 de marc o 2018 report tvu

<iframe src='https://tv.up.pt/videos/cqbgavbx/embed?t=0' width='420' height='236' allowfullscreen></iframe>

x Iniciar em

Autor TVU.

Descrição 'Crónicas de Uma Amizade Fixe' é um testemunho sobre o entendimento cúmplice que uniu Mário Soares e Vítor Ramalho em situações, confrontos ou alianças com protagonistas da vida partidária e política bem conhecidos, sem esquecer igualmente o contributo prestado por ambos para realizações e iniciativas que ficaram a assinalar intervenções cívicas de relevância inegável.

Intervenientes Vítor Ramalho (Autor), Sebastião Feyo de Azevedo (Reitor da U.Porto)

Entidades U.Porto

Localização Reitoria da U.Porto

Línguas português

Data 2018-03-06

By nc sa

    Não existem capítulos

  • Sobre o autor: Vítor Ramalho é natural da Caála, situada no planalto central do Huambo, Angola, onde nasceu em 1948. Tendo vindo para Lisboa aos 18 anos para estudar Direito, licenciou-se em 1970 na Faculdade de Direito de Lisboa. Advogado, privilegiou o Direito do Trabalho e o Social o que o conduziu a ser membro de um governo de Mário Soares, o IX Governo Constitucional, o chamado Bloco Central. As relações entre ambos estreitaram-se de forma íntima a partir de então até à morte de Mário Soares. É dessa amizade, extensiva a Maria de Jesus Barroso, que nos fala este livro, a partir de factos reais, vividos com o casal e assinalado com inevitáveis percursos políticos que os marcaram de forma fraternamente solidária. Vítor Ramalho foi, em função da relação com Mário Soares, seu consultor na Presidência da República durante os dois mandatos e desempenhou, entre outras funções, a de secretário de Estado do Trabalho e de secretário de Estado adjunto do Ministro da Economia nos governos de Mário Soares e António Guterres, respetivamente, para além de ter sido deputado durante 12 anos consecutivos, presidindo à Comissão de Trabalho, à Associação de Amizade Portugal-Angola, ao Fórum dos Parlamentos de Língua Portuguesa da CPLP e à Fundação Inatel. Nos anos 90 do século passado foi um dos cinco coorganizadores em Lisboa do I Congresso dos Quadros Angolanos no Exterior, que juntou então na FIL de Lisboa representantes ao mais alto nível de todos os partidos e religiões ecuménicas de Angola, participando nele mais de dois mil angolanos e luso-angolanos e que enquadrou o pano de fundo que trouxe o processo de paz de Angola para Portugal em Bicesse. As relações com os Países de Língua Oficial Portuguesa e a amizade com muitos responsáveis destes conduziram-no naturalmente a exercer agora as funções de secretário-geral da UCCLA – União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa. Vítor Ramalho tem uma vasta obra publicada sobre questões de Direito e História.

    0:0:0
  • Site Temas e Debates - https://www.temasedebates.pt/produtos/ficha/cronica-de-uma-amizade-fixe/20288838

    0:0:0

    Não existem citações

  • U.Porto
  • Universidade do Porto
  • Culturas e Produção cultural

Conteúdos do mesmo Canal